Guia Simplificado da Dieta Flexível: Como funciona, Cardápio e Muito Mais!

Guia simplificado da Dieta flexível: Como funciona, cardápio e muito mais!

A dieta flexível se tornou uma grande aliada para as mulheres que querem perder peso através da introdução de vegetais ao seu cardápio diário sem precisar abrir mão totalmente de carnes e produtos de origem animal.

A dieta flexível permite que seus adeptos aproveitem os benefícios da dieta vegetariana (priorizando o consumo de frutas, verduras e legumes) sem restringir nenhum grupo alimentar.

A ideia é que, ao invés de contar calorias ingeridas na alimentação (como na dieta dos pontos, por exemplo), seja feita a contagem dos macronutrientes – que conhecemos como carboidratos, gorduras, fibras e proteínas – consumidos ao longo do dia.

Ficou curiosa? Conheça agora tudo sobre a dieta flexível, como funciona, algumas dicas para montar o cardápio e muito mais!

O que é a Dieta Flexível e como surgiu?

Para que você se sinta mais segura e entre nesta dieta de olhos bem abertos, vamos falar um pouco sobre do que se trata a dieta flexível e como surgiu.

Primeiramente, a dieta flexível foi criada por um nutricionista americano chamado Dawn Jackson Blatner e se tornou bastante famosa nos EUA e aqui no Brasil, inclusive. 

Isso porquê a dieta foi criada com o intuito de permitir que seus adeptos tenham a liberdade de montar seu cardápio diário e ter uma alimentação balanceada sem restrição de alimentos, contanto que obedeçam a uma determinada quantidade máxima estabelecida de macronutrientes por dia.

Daí surgiu o jargão pelo qual a dieta também é conhecida: “If it fit your macros” (IIFYM), que em português significa “Se isso couber nos seus macronutrientes”.

Para estipular a quantidade de macronutrientes a serem ingeridos por dia, são utilizados sites que fazem o cálculo da quantidade de macronutrientes (lembrando: proteínas, carboidratos, fibras e gorduras) que podem ser consumidos no dia a partir de dados como altura, peso, e a quantidade de exercícios físicos praticados pelo usuário.

Resumindo, os pilares da Dieta flexível são:

  • Preferência por frutas, legumes, verduras, grãos e cereais;
  • Trocar os alimentos processados por alimentos naturais;
  • Limitar a quantidade de açúcar, adoçantes e produtos com adoçantes artificiais;
  • Preferir proteínas vegetais;
  • Montar um cardápio flexível, incorporando alimentos de origem vegetal e animal de vez em quando.

Por que a Dieta Flexível ajuda a emagrecer e traz benefícios para a saúde?

Os benefícios para a saúde são claros, uma vez que a preferência por frutas, vegetais e alimentos naturais trazem inúmeras vantagens para o organismo e para os processos metabólicos do corpo.

Conheça os benefícios da Dieta flexível no emagrecimento e na manutenção da saúde e qualidade de vida.

Emagrecimento

A dieta flexível auxilia no emagrecimento ao incentivar a diminuição do consumo de macronutrientes, que são fontes calóricas.

Definindo:

- Anúncio -
Guia Simplificado da Dieta Flexível: Como funciona, Cardápio e Muito Mais!

Obviamente, ao diminuir a ingestão de calorias, automaticamente teremos uma perda de peso; pois o corpo passará a gastar mais calorias do que consome, utilizando a energia armazenada em forma de gordura, principalmente.

Proporcionando assim a queima de gordura e o emagrecimento.

Também para quem deseja obter massa muscular, a dieta flexível se torna mais vantajosa que dietas vegetarianas ou veganas, por ainda permitir o consumo de proteínas animais que podem auxiliar nesse processo.

Saúde

Como a dieta flexível não se foca apenas em um grupo alimentar ou em um objetivo específico, é difícil determinar especificamente seus benefícios para a saúde.

Porém, ao priorizar o consumo de alimentos de origem vegetal, é possível destacar alguns dos benefícios para saúde que encontramos em dietas veganas e vegetarianas.

Entre eles:

Prevenção de doenças cardíacas:

É comprovado, através de pesquisas e estudos sobre os benefícios da alimentação com origem vegetal, que as fibras e gorduras saudáveis são excelentes para o coração.

Além de que, dietas vegetarianas, possuem fibras e antioxidantes que auxiliam na diminuição da pressão arterial e a elevação dos níveis de colesterol bom.

Prevenção de diabetes:

Dietas com base em legumes, vegetais e frutas, são comprovadamente pobres em açúcares artificiais e gorduras; o que auxilia especificamente na prevenção e controle da doença.

Prevenção do câncer:

Dietas vegetarianas ou que priorizem os alimentos naturais são bastante efetivas na prevenção e combate ao câncer, uma vez que alimentos ultra processados são cortados da alimentação.

Além disso, frutas, legumes, óleos vegetais, grãos e sementes, são fontes ricas de antioxidantes que ajudam a prevenir o câncer.

Portanto, ao adotar a dieta flexível, você poderá estar se prevenindo de 3 das principais doenças que mais acometem pessoas no mundo. Além de emagrecer estará cuidando da sua saúde.

Como começar a dieta flexível – Calculando o gasto calórico

O primeiro passo é calcular a média de gasto calórico total por dia (GET).

Em seguida, é importante definir qual o principal objetivo ao aderir à dieta: se perder peso ou ganhar massa muscular.

Caso queira emagrecer, será necessário subtrair do valor total do GET 500kcal. Se for para ganhar massa, será o oposto, deverá acrescentar.

Para fazer o cálculo você poderá acessar a calculadora que deixamos disponível no link mais acima.

Dicas de alimentos para montar o cardápio diário

Mesmo que não haja restrição alimentar, é importante ficar de olho nos alimentos balanceados para não acabar escapando da quantidade máxima de macronutrientes por dia.

Como os valores calóricos são diferentes, é importante fazer um balanceamento.

Veja dicas de alguns dos melhores alimentos para comer na dieta flexível:

Proteínas:

Soja, tofu, lentilhas, legumes, feijão e ervilhas são excelentes opções.

Frutas:

Prefira comer maçã, uva, cereja, manga, banana e laranja.

Grãos:

Aveia, trigo mourisco, arroz e quinoa podem compor sua alimentação diária.

Vegetais sem amido:

Vegetais verdes, couve de Bruxelas, cenoura, feijão verde e pimentão.

Leites de origem vegetal:

Leite de soja, leite de amêndoa, leite de coco e cânhamo.

Sementes e gorduras saudáveis:

Linhaça, chia, nozes, castanha de caju, amendoim, pistache e azeitonas.

Origem animal:

De preferência carnes brancas, ovos,

Conclusão: A dieta flexível faz bem e é uma poderosa aliada no emagrecimento

Lembre-se: a dieta flexível (ou dieta semi-vegetariana) se concentra, principalmente, no consumo consciente de proteínas de origem vegetal e outros alimentos naturais (sem processamento).

A dieta permite o consumo de alimentos de origem animal mas moderadamente, foco nos vegetais!

Seguindo as dicas que deixamos aqui você terá grandes chances de perder peso de forma saudável e reduzir os riscos de diversas doenças, sem falar na melhoria da sua qualidade de vida.

A partir de hoje prefira fazer escolhas alimentares conscientes e comece hoje mesmo a aproveitar os benefícios!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here